"Monocrômica, anacrônica, atraente, arcaica Antonina, não amo-te ao meio, amo-te à maneira inteira."
Edson Negromonte.



segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Denúncia gravíssima de reunião, ontem, de FHC com investidores estrangeiros interessados em privatizações

Copiado do Blog da Hildegard Angel

Recebi hoje este e-mail impressionante. Uma denúncia gravíssima, que já repercute na internet, e que merece ser apurada pela grande imprensa e deve ser sabida por todos os brasileiros, para tirarem dela suas próprias conclusões.
Trata-se do encontro-jantar que houve ontem, em Foz de Iguaçu, reunindo o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, falando em inglês para 150 investidores estrangeiros no Hotel das Cataratas. Exatamente às 21h30m, enquanto os candidatos Dilma Rousseff e José Serra debatiam na RedeTV, e este se esquivava de dar respostas concretas sobre possíveis intenções tucanas de privatizar ainda mais o Brasil, pois bem, naquele exato momento, naquele evento fechado, FHC teria feito uma palestra sobre a privatização da Petrobras, de Itaipu e do Banco do Brasil, além de outras “oportunidades” de negócios no Brasil.
Segundo o jornalista mineiro Laerte Braga, a idéia inicial dos organizadores de realizar o evento no Hotel Internacional foi afastada para evitar presença de jornalistas. Laerte, que acompanhou o evento do lado de fora, recebendo as informações em conta-gotas, afirma em seu texto que FHC assumiu com os empresários o compromisso de venda dessas empresas em nome de José Serra.
Vou transcrever o texto, que está claro, muito bem explicado e no tempo presente de verbo, pois ele postou a matéria enquanto o evento acontecia, suprimindo algumas partes:
"Cada um dos investidores recebeu uma pasta com dados sobre o Brasil, artigos de jornais nacionais e internacionais e descrição detalhada do que José FHC Serra vai vender se for eleito. E além disso os investidores estão sendo concitados a contribuir para a campanha de José FHC Serra, além de instados a pressionar seus parceiros brasileiros e a mídia privada a aumentar o tom da campanha contra Dilma Roussef. Segundo FHC disse a esses empresários logo após ser apresentado pelo organizador do evento, “se deixarmos passar a oportunidade agora jamais conseguiremos vender essas empresas”.
Para o ex-presidente, é fundamental a participação desses grupo na reta final de campanha. A avaliação de FHC é que a campanha de Dilma sofreu um golpe com a introdução do tema religioso (o que foi deliberado pelos tucanos para desviar a atenção das pessoas dos reais objetivos do candidato José FHC Serra). É preciso, na concepção do ex-presidente arrematar o processo derrotando a candidata e impedindo-a de respirar nessa reta final.
O acordo com empresários internacionais em Foz do Iguaçu envolve a instalação de uma base militar norte-americana na região, desejo antigo dos governos dos Estados Unidos.
Para o ex-presidente também não há grandes problemas com a mídia privada “sob nosso controle”, mas é preciso evitar a divulgação de notícias mesmo que sejam pequenas ou de pequenos fatos e que possam prejudicar o projeto de venda do Brasil (...)".
Laerte informa que o evento "foi organizado por Raphael Ekman - Investor Relations at Tarpon Investment Group São Paulo e região, Brasil - que no momento ocupa cargo de Commercial Manager da Globosat (Setor Serviços financeiros)”.
O jornalista conseguiu apurar a participação, no evento, dos senhores Alice Handy, Keith Johnson e Anjum Hussain, CFA, CAIA...
O fato é realmente grave e pode ser visto como um ato contra a soberania brasileira e seria importante tanto o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso como o candidato José Serra virem a público esclarecer essa denúncia, que foi postada ontem, em texto assinado por Laerte, e pode ser lida no:
http://redecastorphoto.blogspot.com/2010/10/fhc-esta-acertando-venda-do-brasil-em.html

Nascido em Juiz de Fora, Laerte Braga é jornalista, já tendo trabalhado no mais importante veículo de seu estado, o jornal Estado de Minas, e, no Rio de Janeiro, no Diário Mercantil.

2 comentários:

Antonio Bento disse...

Luis...o Farol da Alexandria jto com o seu filhote fazem isso, pois certos indivíduos nesse país são ininputáveis. Agora esse "bagrinho", por se intitular um "Antoninense da Gema" e morar em Curitiba, respondi um ação por falsidade ideológiga no Fórum de Antonina..é mole ou quer o meu.

Agora, o referenciado abaixo, esta a anos nessa vigarice de diploma e não tem, nenhuma autoridade judiciária cobra dele a sua falsidade ideológica, que já há tempos deixou de ser, já se tornou vigarice ideológica. Os eleitores do Serra sempre cobraram do Lula um diploma universitário, e agora? Eu pergunto aos eleitores do Vigarista da Mooca, qual vai ser a fala de vocês?

-----------------------------------

Serra também não tem diploma
24/9/2002 16:02, Sebastião Nery - Tribuna da Imprensa

Um amigo, também amigo de Serra, seu companheiro de exílio no Chile e hoje brilhante professor universitário no Brasil, me diz, rindo, sobre essa coisa idiota de ter ou não ter diploma para ser presidente da República:
- O Serra não está dizendo que Lula não tem diploma universitário? Pede a ele para mostrar o dele. Desde nossos tempos de Santiago, lá no Chile, e também depois que ele foi para os Estados Unidos, e mesmo quando voltou para o Brasil, em 79, com a anistia, há um mistério sobre sua formação universitária. Ele diz que é economista. No Brasil, em 64, estudava engenharia. Fez brilhante mestrado em economia no Chile e doutorado nos Estados Unidos. Cada país tem uma legislação de ensino diferente. No Brasil, só pode fazer mestrado e doutorado depois de ter o diploma de graduação. Mas ninguém nunca viu o diploma de economista dele. Já que agora ele tem televisão à vontade, era uma boa oportunidade de mostrar.
Não vai mostrar nunca, porque, como diz de Lula, também ele não tem diploma. Na biografia autorizada que fez de Serra, o jornalista Teodomiro Braga conta porque Serra não tem diploma universitário. Estudava engenharia em São Paulo. Com o golpe de 64, foi exilado para o Chile e, para fazer mestrado de economia lá, fez uma prova que substituiu a exigência do diploma do curso de graduação. Depois, fez doutorado nos Estados Unidos.
Pela legislação brasileira, se você faz universidade lá fora, para dizer que é e ser profissional aqui, o Ministério da Educação tem que validar o curso de lá. Se não não pode pertencer à categoria. O de Serra foi validado?
O mistério mora aí. Onde, quando e sobretudo como Serra fez a tal prova, para dispensar o curso da Universidade e fazer logo o mestrado? Em um Detran educacional qualquer, como se fosse uma carteira de motorista? Esta é uma boa pergunta: quem foi o despachante de Serra no Chile?

sebastiaonery@tribuna.inf.br

Antonio Bento disse...

Serra também não tem diploma
24/9/2002 16:02, Sebastião Nery - Tribuna da Imprensa

Um amigo, também amigo de Serra, seu companheiro de exílio no Chile e hoje brilhante professor universitário no Brasil, me diz, rindo, sobre essa coisa idiota de ter ou não ter diploma para ser presidente da República:
- O Serra não está dizendo que Lula não tem diploma universitário? Pede a ele para mostrar o dele. Desde nossos tempos de Santiago, lá no Chile, e também depois que ele foi para os Estados Unidos, e mesmo quando voltou para o Brasil, em 79, com a anistia, há um mistério sobre sua formação universitária. Ele diz que é economista. No Brasil, em 64, estudava engenharia. Fez brilhante mestrado em economia no Chile e doutorado nos Estados Unidos. Cada país tem uma legislação de ensino diferente. No Brasil, só pode fazer mestrado e doutorado depois de ter o diploma de graduação. Mas ninguém nunca viu o diploma de economista dele. Já que agora ele tem televisão à vontade, era uma boa oportunidade de mostrar.
Não vai mostrar nunca, porque, como diz de Lula, também ele não tem diploma. Na biografia autorizada que fez de Serra, o jornalista Teodomiro Braga conta porque Serra não tem diploma universitário. Estudava engenharia em São Paulo. Com o golpe de 64, foi exilado para o Chile e, para fazer mestrado de economia lá, fez uma prova que substituiu a exigência do diploma do curso de graduação. Depois, fez doutorado nos Estados Unidos.
Pela legislação brasileira, se você faz universidade lá fora, para dizer que é e ser profissional aqui, o Ministério da Educação tem que validar o curso de lá. Se não não pode pertencer à categoria. O de Serra foi validado?
O mistério mora aí. Onde, quando e sobretudo como Serra fez a tal prova, para dispensar o curso da Universidade e fazer logo o mestrado? Em um Detran educacional qualquer, como se fosse uma carteira de motorista? Esta é uma boa pergunta: quem foi o despachante de Serra no Chile?

sebastiaonery@tribuna.inf.br

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Luis...o Farol da Alexandria jto com o seu filhote fazem isso, pois certos indivíduos nesse país são ininputáveis. Agora qualquer "bagrinho", por se intitular um "Antoninense da Gema" e morar em Curitiba, já respondeu um ação por falsidade ideológiga no Fórum de Antonina..como me confidenciaram. É mole ou quer o meu!!!!!

Agora, o referenciado , esta a anos nessa vigarice de diploma e não tem, nenhuma autoridade judiciária cobra dele a sua falsidade ideológica, que já há tempos deixou de ser, já se tornou vigarice ideológica. Os eleitores do Serra sempre cobraram do Lula um diploma universitário, e agora? Eu pergunto aos eleitores do Vigarista da Mooca, qual vai ser a fala de vocês?

O JEKITI NOS ANOS 60 - foto do amigo Eduardo Nascimento

O JEKITI NOS ANOS 60 - foto do amigo Eduardo Nascimento