"Monocrômica, anacrônica, atraente, arcaica Antonina, não amo-te ao meio, amo-te à maneira inteira."
Edson Negromonte.



segunda-feira, 1 de outubro de 2012

COMPROMISSO COM O TURISMO

Conversei com alguns amigos que têm negócios que dependem do turismo. Para minha surpresa as suas reivindicações são conjunturais e, a meu ver, podem ser muito bem negociadas com a próxima administração.
Poderia argumentar que a minha ideia para o turismo requer um projeto estruturado, mas como a reivindicação vem das pessoas ligadas à causa, abaixo exponho as suas necessidades:
1 – Parceria com o poder público municipal com o intuito de desenvolver o turismo em Antonina, objetivando a geração de emprego e renda;
2 – Criação da Secretaria de Turismo, cujas funções devem ser prioritariamente técnica;
3 – Que o Conselho Municipal de Turismo tenha função deliberativa;
4 – Que a Lei 42/99, de 08 de dezembro de 1999, que criou o Fundo Municipal de Turismo seja viabilizada e as suas dotações repassadas para Secretaria de Turismo;
5 – Abertura de concurso público para o cargo de Turismólogo, com o objetivo de dar assessoramento técnico à Secretaria de Turismo;
6 – Aprovação do Plano Diretor, no qual contemple um Programa de Desenvolvimento Sustentável para o turismo;
7 – Recuperação e conservação de logradouros, com ênfase no Mirante da Pedra, Ponta da Pita, Rio do Nunes e praças;
8 – Que os eventos culturais e turísticos sejam bem geridos com o intuito de se tornarem fontes de renda alternativas e se invista na divulgação;
9 – Um melhor planejamento na coleta de lixo e zelo com a limpeza da cidade;
10 – Criação do Centro de Eventos com o intuito de concentrar os festivais de cultura e outras manifestações;
11 – Que a Filarmônica Antoninense seja uma opção alternativa cultural para os turistas e visitantes;
12 – Enfim, que sejam desenvolvidas políticas em parceria com os empreendedores e entidades de classe que resulte em um amplo projeto de reconstrução e desenvolvimento do município.  
Cabe ressaltar que as propostas não são deste blog, pois não tenho a pretensão de dizer o que deve ser feito a quem entende mais de turismo do que eu.
Como sugestão, digo aos amigos que olhem para as quatro coligações e procurem saber se há alguém que comungue dos mesmos interesses.

16 comentários:

Anônimo disse...

Meus pêsames, senhores empresários do turismo. Voceis deixam de fora o que tem de mais precioso para o implemento do TURISMO e para a atração de turistas.

1) - É A CONSERVAÇÃO ARQUITETÔNICA COLONIAL DA CIDADE, BEM COMO O IMPLEMENTO DE NOVOS PRÉDIOS COM ASPECTO COLONIAL.
- UMA PERGUNTA:- VS FAZEM PARTE DAS PESSOAS QUE ACHAM QUE A FACHADA DO HOSPITAL É SINÔNIMO DE "POGRESSIO" PRA CIDADE????
2) - EXPLORAR A RICA HISTÓRIA DE ANTONINA PARA FINS TURISTICOS. PARANAGUÁ E ANTONINA SÃO O COMEÇO DO PARANÁ, MEUS CAMARADAS!!! A HISTÓRIA MECHE COM A IMAGINAÇÃO DAS PESSOAS E CUSTARIA, APENAS, UM BOM E COMPETENTE NÚCLEO DE PESQUISA HISTÓRICA E CULTURAL AQUI EM NOSSA CIDADE.
3) - FINALMENTE, NÃO VI VOCES FALAREM NENHUMA LETRA SOBRE A FORMAÇÃO DE MUSEU AQUI EM NOSSA TERRA. AINDA É TEMPO, QUE TEM MUITA COISA INTERESSANTE ESPALHADA POR AÍ E QUE SÃO TESTEMUNHOS DE NOSSA HISTÓRIA !!!!

INFELIZMENTE É A INGNORÂNCIA QUE ASTRAVANCA O POGRESSIO DESTA TERRA!!!!!

............................

E POR FALAR EM PROGRESSO VERDADEIRO, SERÁ QUE É SÓ O JEKITI QUE PENSA EM UMA FACULDADE DE ARTES, PRINCIPALMENTE MÚSICA AQUI EM ANTONINA????????? O FATO É QUE VOCES SÃO FROUXOS, E CAPITANEADOS POR POLÍTICOS FROUXOS. NÃO ACREDITAM A SEIVA QUE BROTA DA ALMA DESTE POVO. MAIS FÁCIL DIZER QUE O POVO É INDOLENTE. SER-Á QUE NÃO SERIAM VOCES A MESMA COISA?????

Anônimo disse...

Anônimo aí de cima: há admiráveis exemplos isolados. Um deles, o mais evidente, é aquele "... de uma pharmácia perto da prefeitura..." A gente vê turistas e mais turistas entrarem naquela PHARMACIA, só para admirarem o interior daquela bela e verdadeira BOTICA ....

Anônimo disse...

Uma faculdade de música aqui, seria um pólo de turismo permanente e não só pra fins de semana, não....
Será que alguém do PT que seja culto ou que pelo menos admire a cultura não poderia falar com o VANHONI sobre isso???? Ou será que vs. se lembram dele só quando a prefeitura precisa de dinheiro pra asfaltar rua??????????

Henrique Dias disse...

Que tal passeios turísticos pela Baia e Rios de Antonina, através de concessão para a iniciativa privada. Mostrar onde os primeiros garimpeiros do Brasil trabalharam.
O rio faisqueira está lá quase intocável depois de 500 anos. Como era a vida dos ídios Carijos, através de visitas monitoradas aos sambaquís.

Bóson de Higgs disse...

Que tal, a ligação de Antonina/Paranaguá pela baia?

Quel tal um restaurante de comida tipica caiçara; bagrada/caranguejada/omelete de bacucu/bacucu contado/tainha na terra...?

Que tal, arborizarar as nossa praças com árvores frutíferas locais?

Que tal, que as praças de Antonina fossem adotadas pelos comerciantes?

Que tal, fazer uma revisão histórica da cidade de Antonina e, discorrer social/política e econômica uma colonização que até hoje foi escondida da história do Paraná; piratas/corsários/comerciantes que negociavam com eles; a passagem de Gumercindo Tavares e os seus jagunços por Antonina, a história dos escravos de Antonina e os seus descendentes, a expulsão dos japonenes e outras etnias de Antonina na segunda grande guerra...?

Que tal????????????

Anônimo disse...

As propostas são para Antonina, públicas. Logo, peguem a realista de cada um, factível. Médio Prazo.
Como ajudar?
Ouvi que Morretes fez uma lei, ou algo assim para taxar o Turista, (????)
Na Europa, há o Eurailpass(é assim q se escreve ?), bilhetes, ticketes do qual os Turistas usufruem por tempos, com direito a bicicletas, algum sanduba no barco Use ou não tá no pacote da associação européia de Turismo digamos assim.
Pinte tudo. Em algumas cidades, brusque, blumenau, a prefeitura deduz imposto de quem manter e alterar para a arquitetura tradicional da cidade.
Leris que multem quem suja a rua, quem deixa seus tomba lixo nas ruas.
Melhor que limpar é não sujar. é o Mote
Menu rotativo. Um cardápio em que os turistas cada dia frequente um restaurante com um quitute diferente, como se fosse em passeio gourmet, pré agendado.Pelos diversos restaurante, um dia um charuto com ostras e limão, no outro, siri com palmite, no terceiro, bacucu com sei lá moranga e leite de coco e no outro.
E um banheiro público limpo pra cagar tudo rsrsrsrsr
Povo. Ideias novas,mas benchmarketeiem (é assim q se rabisca?)o que existem também.
Inovem

Amigos do Jekiti disse...

algumas ideias são viáveis e podem dar a cidade uma estrutura mínima ao turista. No dia de maior movimento (domingo) o comércio está fechado e os passeios de barcos pela baía é pouco divulgado. É preciso uma política, como bem disse um dos comentaristas, um incentivo para a reforma das fachadas.
A faculdade de Artes é um outro empreendimento que pode ser perseguido. Tudo que está exposto faz parte da nossa cultura. É só transformar nossas potencialidades em atitude, pelas mãos de quem realmente gera trabalho e renda para acidade e seu povo. É preciso que o poder público e a inciativa privada deixem de lado suas picuinhas e tratem de botar a mão ma massa que vai dar certo.

Anônimo disse...

há algumas iniciativas de turismo que não sobrevivem sózinhas. necessário parceria do poder público dando uma força pra iniciativa privada.
exemplos?
sim.
por exemplo, o catamarão que tinha no tempo da munira. o coitado do 'capitão' não tirava dinheiro suficiente nem pra pagar o oleo diesel e o custo da manutenção mecânica.... e.... como era bonito o passeio!!!!!

Anônimo disse...

Precisava que existisse o compromisso das escolas de samba funcionarem o ANO TODO. Cada fim de semana, uma delas organizar o pagode, batuque, o chorinho, chamem lá como quiserem. As que não tem séde, precisava que a prefeitura desse uma força....

Anônimo disse...

CARO BLOGUISTA:- QUE BICHO É ESSE MENCIONADO EM SEU ARTIGO?
- TURISMOLOGO!!!
SERIA, POR ACAUCASO, ALGUM VAMPIRO FUGIDO DA LAPÔNIA?????
- nÃO É????
- AH, MAS UMA COISA É:- MAIS VAGABUNDO PRA FAZER CALO NO TRASEIRO DE TANTO ROÇAR AS CADEIRAS DA PREFEITURA......

Anônimo disse...

O Eduardo Bó, no breve tempo em que foi secretário de turismo, botou pra rodar uma CHARRETE de passeio para turistas.
Pra quem conhece a cidade de ÁGUAS DE SÃO PEDRO, no Estado de São Paulo, ficou feliz com a idéia. Naquela instância hidro-mineral, tem duzias e mais dúzias de charretes para passeio e transportes de turistas. É muito bonito. Mas aqui.... como falaram aí em cima, é terra de POGRESSIO... onde se viu botar charrete e cavalo na rua.....
E a iniciativa do Eduardo Bó foi pro lixo da prefeitura......

Anônimo disse...

tem empresário que 'colabora' com o aspecto colonial da cidade, construindo puxadinho..... onde????dou uma dica:- o mercado municipal já é uma agressão à vocação arquietônica colonial da cidade. Fica mais no geito a esculhambação se se acrescentar a ela o 'puxadinho' que fizeram do lado..... Que tal os demais empresários da área, cada um fazer o seu puxadinho??? Se um pode, porque é que os outros não podem??? LINDO, NÉ????

Anônimo disse...

Alguma vez a prefeitura fez divulgação da exibição da banda nos sábados??? A TV cultura faria divulgação gratuita. Talvez até a Globo..., quem sabe....
- (Mais dá muito trabaio, percurá eles né? Mior nóis ficá quetinho.... qui nóis num ganhamo eleição pra arrumá aporrinhação....)

Amigos do Jekiti disse...

Por isso que essa porra de cidade não vai pra frente. Ao invés de discutirem soluções ficam falando de puxadinhos e outras bobagens.
O puxadinho do mercado não agride a arquitetura, o que agride é a arrogância, o autofagismo do antoninense que sempre acha que os outros é que marcham errado, só ele que marcha certa.
É a velho complexo de Gabriela.

Anônimo disse...

Voces da Capela precisam aprender a pensar no campo do inovar. Parem de criticar. O criticar leva a não pensar. Crítica é lamentação. Parem de chorar. Mão na massa.
Tenham criatividade.
1 – No dia das crianças cada criança em um local como cliente, ganha um sorvete produzido localmente. Da D Luci. Menos nas sorveterias que poderiam oferecer um artesanato local(para fortalecer o comércio.)
Quem paga? As associações de voces com o apoio da Prefeitura, doação voluntárias ou algo assim. Como? Ah esta é a questão. Afinal há trabalho a ser feito.
Nos restaurantes, um sorteio entre 11 e 13 horas, um brinde com um dvd da história de Antonina. Ah Não tem??? Olha a oportunidade aos artistas. Um livro?, Um almoço grátis. Quem paga? O Volume.
2 - No dia da cachaça artesanal, ah não tem, uma pena pois poderia-se oferecer para a turma do litro água pois o leite estaria na mamadeira dos políticos (?)
Ah precisa de marketing(é assim q se rabisca?) Difícil esta hein, pois também alguém tem que trabalhar. É só botar nos sites de divulgação comum ao programa. Programa? Não de governo, do Turismo. Se for do governo muitos podem querem mamar. Pode não funcionar.

3 - E sobre um cupom Com fotos da cidade. Quem “ajuntar” 15 fotos diferentes ganha um “estacionamento digrátis” e carimba as fotos. Assim vai-se divulgando.

Despertem a curiosidade do turista, ofereçam algo mais que uma cidade limpa(pintada, restaurada).
Uma bola de vólei para que um campeonato entre turistas possa ocorrer. Como? Contanto as entidades. Mas alguém tem que se mexer. Eis o problema. Mas e as quadras de vólei?

4 - Oportunidades? O Brasil tá envelhecendo. Cadê as academias matinais com ginasticas ao ar livre?
Ah, lá vem o anonimo com mais uma ideia ridícula.
Enquanto em Antonina preservar a “vontade” do “meu primeiro” e não em prol do coletivo …
5 - Pensem como turistas, ele quer algo novo e descanso às vezes. Ele quer conversar. Mas cadê as rodas de bate papo, a simpatia do Antoninense em ter tempo voluntário para recebê-lo simplesmente sem interesse no lucro, mas em saber que a cidade ganha? Ao menos um sorriso do turista, um questionamento com as figuras curiosas. Que ele saia refletindo ou contribua em como a turma do litro possa ao menos evoluir para Uísky(é assim q se rabisca?), Ou o certo é não se envolver e deixar a felicidade deles na pinga barata?
Algo como “Sou amigo do Turista”
5- Uma vez li sobre o Turista voluntário? Não se lembro do que se trata … Algum leitor que perde tempo lendo isso sabe?

Cabeça também é para copiar, ou copiar já seria uma criatividade?

Jacó do Bandoleon disse...

Todos, inclusive; estamos esperando o mar pegar fogo para comermos peixe frito.

O JEKITI NOS ANOS 60 - foto do amigo Eduardo Nascimento

O JEKITI NOS ANOS 60 - foto do amigo Eduardo Nascimento