"Monocrômica, anacrônica, atraente, arcaica Antonina, não amo-te ao meio, amo-te à maneira inteira."
Edson Negromonte.



sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

O QUE SERÁ, QUE SERÁ?

Rendo-me às opiniões de alguns para eu não permitir comentários anônimos no blog. Minha negativa a respeito se mantinha na idéia de que as opiniões eram muito mais importantes que a identificação das pessoas, bem como, possibilitar àqueles que, por timidez ou por constrangimento, pudessem se expressar de maneira mais livre. Porém, a partir do momento que entram aqui para destratar um amigo que nem sequer tem responsabilidade alguma com as publicações deste blog, os comentários só poderão ser aceitos com a devida identificação, através da conta do acompanhante.
Para mim torna-se difícil entender os motivos pelos quais uma pessoa se utiliza do anonimato para se expressar aqui. Este blog jamais ofendeu alguém, desrespeitou o posicionamento de alguém e muito menos atacou, covardemente, algum posicionamento político, religioso ou de cunho moral. Cá com meus botões, fico aqui a imaginar o que uma pessoa, que se esconde no anonimato, faria se estivesse no poder?
Acho que Chico explicaria isso, com O que será que será:
Que andam suspirando pelas alcovas?
Que andam sussurrando em versos e trovas?
Que andam combinando no breu das tocas?
Que anda nas cabeças? Anda nas bocas?
Que andam acendendo velas nos becos?
Estão falando alto pelos botecos?
E gritam nos mercados?
Que com certeza está na natureza
Será, que será?
O que não tem certeza, nem nunca terá!
O que não tem conserto, nem nunca terá!
O que não tem tamanho...

Nenhum comentário:

O JEKITI NOS ANOS 60 - foto do amigo Eduardo Nascimento

O JEKITI NOS ANOS 60 - foto do amigo Eduardo Nascimento