"Monocrômica, anacrônica, atraente, arcaica Antonina, não amo-te ao meio, amo-te à maneira inteira."
Edson Negromonte.



domingo, 22 de julho de 2012

O OVO DA SERPENTE

Li com atenção o texto do vereador Márcio Balera. Embora seja superficial, não deixa de mostrar, nas entrelinhas, que está relacionado com o episódio Canduca. Balera fala de amizades, alianças e traição, de emoção e racionalidade, incluse de morte e ressurreição. É quase um tratado político-filosófico repleto de sofismas e ilações alienantes, com o intuito de dissimular uma verdade.
Seguindo o guizo baleriano ele nos conduz a um hiato repleto de dualismos que, a meu ver, tem muito de egoísmo próprio, principalmente quando propõe que reflitamos sobre questões de lealdade e traição, amizade e política, como se essas relações não fossem análogas.
No rico hiato baleriano está implícito que a confiança e a lealdade não estavam no cerne do grupo que acompanhou Canduca até o último minuto, mas para o bom entendedor, Balera incita-nos a pensar que quem cometeu o ato profano foi Canduca ao romper o rito sagrado da lealdade para com seu grupo. Embora ele não mate a cobra e nem mostre o pau, é fato que a saída de Canduca do PPS, no último minuto do segundo tempo, foi a causa principal da interrupção do seu projeto político, tanto que o PPS lhe deu as costas e o PSD lhe deu o bote.
Mas voltando ao texto, percebo que Marcio Balera é esperto e, para não se comprometer, usou do subterfúgio de mostrar o fim e não justificar os meios. Sua habilidade em se preocupar muito mais com a forma do que com o conteúdo me fez lembrar os comerciais de xaropes amargos que o povo precisa engolir ou de um sabão em pó que lava mais branco.
Logicamente a estratégia de Balera é a da manipulação e para isso se utiliza de mensagens apócrifas, com o intuito de condicionar seus leitores e eleitores a uma verdade irrisória, com a finalidade de dominá-los pelo proselitismo político e filosófico e tornar, no caso, Canduca um político peçonhento.
Mas se Márcio Balera preferiu os sofismas, não sou eu quem vai concluí-los, embora me leve a crer que naquele ninho havia mais serpentes que se poderia imaginar. Para a picada dada em Canduca talvez não tenha soro antiofídico que resolva, porque o veneno que lhe deram é o mesmo que ele aplicara no PPS. Agora, as razões que levaram a expulsar Canduca da ofídica suruba, só o "serpentuário" deve saber, mas uma coisa é certa: se tudo der errado quem deve se salvar é a única cascavel do ninho, porque é a que tem guizo no rabo.
Mas como Márcio possivelmente continuará chocando o ovo da serpente, como deu a entender em seu texto, talvez nem acompanhemos a gestação desse monstro que foi gerado nas entranhas da política antoninense. Mas como o guizo ora balança cá ora balança lá, é bem possível que o ovo da serpente se releve no dia em que as cobras e lagartos copularem no mesmo palanque, como fizeram anos atrás, quando partilharam o mesmo ninho.

10 comentários:

Sonia Nascimento disse...

Querido amigo,
aceitei o debate e postei no meu blogg uma canelada nocê. Ainda acho que o teu informante está loucamente equivocado. Queria muito uma oportunidade de conversar e mostrar os fatos que presenciei. Fica o convite. Um asbraço a você e à linda Lia.

Sonia Nascimento disse...

corrigindo, um abraço.

Amigos do Jekiti disse...

um abraço em vc e no paulo.

Henrique Dias disse...

Millôr Fernandes em 2006:
"“A imprensa brasileira sempre foi canalha. Eu acredito que se a imprensa brasileira fosse um pouco melhor poderia ter uma influência realmente maravilhosa sobre o País. Acho que uma das grandes culpadas das condições do País, mais do que as forças que o dominam politicamente, é nossa imprensa. Repito, apesar de toda a evolução, nossa imprensa é lamentavelmente ruim. E não quero falar da televisão, que já nasceu pusilânime”.

Antonina aperfeiçou a tese do Millôr, acrescente-se o boca a boca nas esquinas, alguns blogs e nos vários ninhos de serpentes. Agora concordo com o Antonio. Antonina já tem cobra demais( pois é do ovo que está no ninho que sai a serpente) e também Cleópatras lindas.

Amigos do Jekiti disse...

Amigo Henrique,
bela intervenção. O ovo da serprente só vai ser visto depois de janeiro de 2013.
abraço

Antonio disse...

(...)Para a picada dada em Canduca talvez não tenha soro antiofídico que resolva, porque o veneno que lhe deram é o mesmo que ele aplicara no PPS.(...)

Canduca aplicou o contra veneno no PPS, como vc conhece a "flexibilidade" do estatuto do PPS, comandada pela executiva estadual, Canduca seria expulso do PPS infidelidade partidária, pois ele deveria apoiar para Deputado Estadual o Alceuzinho Maron do PPS, nas eleições passadas - aquele das falcatruas de vender cargos em comissão na APPA - foi denunciado ao PPS pela Executiva Municipal do PPS. Se ele não se filia-se a um novo partido(PSD) como manda a Legislação Eleitoral, o PPS lhe tomaria o cargo e o prefeito passaria a ser o Presidente da Executiva Municipal do PPS. Simples assimd. Se fosse na fotografia de hoje ele se filiaria no PEN, e seria mais um peniano. Rsrsrsrsrsrsrsrsr.

Anônimo disse...

Texto perfeito e dentro do contexto não sei se o ovo foi chocado rápida ou demoradamente, só sei que a cobra peçonhenta nasceu.

Imagino seu desalento, caro Luiz, ao ver o PT alimentando a cobra.

Amigos do Jekiti disse...

tem razão, meu caro, mas ainda respeito o PT, pq ele é o melhor, embora faça tudo para ser igual.
abraço

Anônimo disse...

E o PT heim, Luiz Henrique?????? agarrou-se no rabo da cobra!
QUE VERGONHAAAAAAAA!!!!!

Anônimo disse...

Será que alguma cobra deste ninho se salvará????? Se o povo for tão burro a ponto de votar em cobras, então merece morrer a míngua no mangue.

O JEKITI NOS ANOS 60 - foto do amigo Eduardo Nascimento

O JEKITI NOS ANOS 60 - foto do amigo Eduardo Nascimento